Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2017

Os 16 Anos da Estreia de AS FILHAS DA MÃE #11

Imagem
Uma novela cheia de astros e estrelas da teledramaturgia brasileira, que prometia ser um acontecimento, mas infelizmente naufragou na missão de elevar e até mesmo manter os índices de sua antecessora no horário, As Filhas da Mãe, de Sílvio de Abreu, completa hoje, 16 anos de sua estreia, e mesmo tendo sido considerada um fracasso de audiência, por sua ousadia e inovação, foi um marco, e merece ser relembrada.


As Filhas da Mãe estreou na faixa das 19 horas, no dia 27 de Agosto de 2001. Escrita pelo autor de sucessos do horário, nos anos 80, como Guerra dos Sexos, Cambalacho e Sassaricando, As Filhas da Mãe foi ao ar quando Sílvio de Abreu já estava consolidado no horário das 20, com tramas de sucesso nos anos 90, como Rainha da Sucata, A Próxima Vítima e Torre de Babel. Com este currículo respeitável, Sílvio não teve dificuldades em juntar um time estelar para fazer uma novela das 7 no início dos anos 2000. Uniu-se ao diretor Jorge Fernando, seu companheiro em vários trabalhos memoráve…

Rodrigo Santoro, Mais Que Um Galã #10

Imagem
Rodrigo Junqueira Reis Santoro, nasceu em Petrópois - RJ, em 22 de Agosto de 1975. Cursou jornalismo na PUC e formou-se ator pela Oficina de Atores da Rede Globo, tornando-se nacionalmente conhecido por Rodrigo Santoro, após ser reprovado num teste para a minissérie Sex Appeal, em 1993, mas conquistando ainda naquele mesmo ano, uma pequena participação na novela das 7, Olho no Olho, do mesmo autor da minissérie para a qual não foi aprovado, Antônio Calmon.


Logo depois, em 1994, estreou em horário nobre como Nando, em Pátria Minha, de Gilberto Braga, onde não participou da novela inteira, mas tinha função importante ao formar um belo par com a protagonista Alice, vivida por Cláudia Abreu, nos primeiros capítulos da trama.


Em Explode Coração, de 1995, fez seu primeiro papel de destaque. Na história de Glória Perez, Serginho era apaixonado pela mocinha Dara (a cigana, vivida por Teresa Seiblitz), mas desiste de conquistá-la quando ela fica dividida entre dois outros homens. Ele acaba se…

Divã, Uma Série Encantadora #09

Imagem
Hoje é o aniversário de uma escritora por qual sou apaixonado, Martha Medeiros. Nascida no dia 20 de Agosto de 1961, em Porto Alegre, leonina como eu e gaúcha como eu, a identificação com esta bela cronista do cotidiano não poderia ser maior. E como homenagem a conterrânea da qual sou fã, escolhi a adaptação de um de seus romances para a televisão, de que gosto muito, para dissertar hoje, aqui no Lembra de Mim. O post deste domingo em que Martha Medeiros apaga mais uma velinha, é sobre Divã, um seriado apaixonante.



Martha Medeiros começou como cronista, colaborando para o jornal Zero Hora, do Rio Grande do Sul, em uma coluna fixa semanal, que se tornou duas com o passar do tempo, e hoje também colabora com o jornal O Globo, do Rio de Janeiro. É uma cronista de mão cheia, com inúmeros livros publicados, que escreve com simplicidade e poesia sobre nosso prosaico cotidiano. Mas Divã foi seu primeiro romance, lançado em 2002, que narra a história de uma dona de casa, que um dia decide fa…

25 Anos de Estreia da Melancólica DE CORPO E ALMA #08

Imagem
Atualmente no ar em horário nobre, com o sucesso de A Força do Querer, há exatos 25 anos, Glória Perez estreava na mesma faixa, com a novela De Corpo e Alma. Uma história forte, emocionante e romântica, que prometia ser a volta triunfal da autora em horário nobre, após sua estreia ao lado de Aguinaldo Silva, com Partido Alto, em 1984, e seu grande sucesso anterior, no horário das seis, Barriga de Aluguel, em 1990. Mas De Corpo e Alma foi uma trama marcada pela tragédia e é lembrada como uma novela obscura e melancólica.


De Corpo e Alma estreou no dia 3 de Agosto de 1992, às 20:30. Dirigida por Roberto Talma, Fábio Sabag e Ivan Zettel, com direção geral de Roberto Talma, a trama teve 185 capítulos, e abordava em seus temas principais: transplante de coração, o mundo dos strippers masculinos e a troca de bebês na maternidade.


O Juiz Diogo Varella (Tarcísio Meira) é casado com a submissa Antônia (Betty Faria), num casamento que nunca mais foi o mesmo desde que ele se apaixonou perdidamen…