Andreia Horta, Uma Atriz Intensa #07



Andreia Assis Horta, nasceu em Juiz de Fora, Estado de Minas Gerais, no dia 27 de julho de 1983. É uma talentosa atriz brasileira, conhecida apenas por Andreia Horta, e hoje, em seu aniversário de 34 anos, o Lembra de Mim, carinhosamente faz uma singela homenagem a essa visceral artista.

Andreia começou a fazer teatro ainda criança em Juiz de Fora. Aos 17 anos mudou-se para São Paulo a fim de estudar Artes Cênicas. Ingressou na Faculdade Paulista de Artes, a FAP. Estudou também na Escola Livre de Santo André e integrou por um ano o Teatro da Vertigem. Nessa época de preparação, ela fazia torta de carne e bolo de laranja para vender, mas não deu muito certo na área da alimentação, então em 2005, fazendo só teatro, começou a escrever, reuniu todos os seus poemas, e surgiu o Humana Flor, livro de sua autoria, que vendia na Rua Augusta, à R$7.

livro de Andreia Horta


Sua estreia na TV aconteceu em 2006, na minissérie de Maria Adelaide Amaral e Alcides Nogueira, JK, onde deu vida à Márcia Lemos Kutischek de Oliveira, filha legítima e de saúde frágil, do Presidente Juscelino e da Primeira-Dama Sarah. Andreia foi convidada para o papel, depois que um produtor de elenco viu seu trabalho na peça Crime e Castigo, adaptação da obra de Dostoyevsky.

com Marília Pêra, em JK


No mesmo ano transferiu-se para a Rede Record, onde foi um das três protagonistas femininas da novela teen Alta Estação. Na história de Margareth Boury, a atriz interpretou Renata Lima, jovem expansiva e atrapalhada, onde Andreia pôde mostrar todo o seu carisma.

junto às outras duas protagonistas de Alta Estação: Ariela Massoti e Lana Rhodes


O grande potencial de Andreia, então foi revelado em Alice, seriado produzido pelo canal à cabo HBO, em 2008. Ela foi a protagonista absoluta da série, vivendo as aventuras e desventuras da personagem-título. Uma jovem que vive em Palmas, no Tocantins, e volta à São Paulo, sua cidade natal, após a morte do pai, para receber sua herança, e sua vida, até então tranquila, vira uma efervescência de acontecimentos, que dão sabor e ritmo a história escrita e dirigida por Karim Aÿnouz e Sergio Machado. Andreia Horta foi escolhida para viver Alice, após a equipe ter feito quase mil testes para escolher a protagonista.




Também em 2008, Andreia fez Chamas da Vida, na Record. Na ótima novela de Christiane Friedman, ela era Beatriz, personagem do bem, mas cercada de maus-caracteres, a começar por sua mãe Vilma (Lucinha Lins), grande vilã da trama, e o irmão Tomás (Bruno Ferrari). A mocinha ainda se envolvia com o delinquente Antônio (Dado Dolabella).

em Chamas da Vida


De volta à Rede Globo em 2010, Andreia participou do seriado A Cura, de João Emanuel Carneiro. Na obscura trama de suspense, ela era Rosângela, amor do protagonista Dimas (Selton Mello).

com Ary Fontoura, seu pai em A Cura


Foi exibido pela HBO naquele mesmo ano, Alice - Um Especial em Duas Partes, dois tele-filmes intitulados O Primeiro Dia do Resto da Minha Vida e A Última Noite, onde Alice voltava a brilhar.

Alice


Em 2011, ela foi Bartira, em Cordel Encantado, a fábula nordestina de Thelma Guedes e Duca Rachid, para o horário das 6. Bartira é uma das três mulheres do libanês Farid (Mouhamed Harfouch), que esconde de todos sua vida tripla.

com Heloísa Perissé e Paula Burlamaqui, em Cordel Encantado


Em Amor Eterno Amor, de Elizabeth Jhin, Andreia deu vida a espevitada Valéria, em 2012. Ela vinha do Pará para o Rio de Janeiro e aprontava todas. A personagem tinha um quê de Ritinha (Ísis Valverde) em A Força do Querer.

com Raphael Vianna, em Amor Eterno Amor


Na reta final da deliciosa Sangue Bom, em 2013, Andreia apareceu como Simone, irmã da protagonista-quase-vilã Amora (Sophie Charlotte). A personagem tinha a importante função de trazer a redenção a Amora, e com sua morte, a irmã fútil e ambiciosa se redimiu, na trama das 7 de Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari.

com Sophie Charlotte, em Sangue Bom


Em 2014, Andreia esteve em duas produções da TV, o seriado A Teia, de Bráulio Mantovani e Carolina Kotscho, ao lado de Paulo Vilhena. Horta era Celeste, mulher do protagonista, Marco Baroni, vivido por Vilhena. O seriado esteve no ar entre janeiro e abril, e em julho, Andreia voltava ao ar como a designer de joias Maria Clara Medeiros, herdeira do Comendador José Alfredo (Alexandre Nero), na novela Império, de Aguinaldo Silva. Andreia era quase uma mocinha, mas o posto oficial ficou a cargo de Leandra Leal. Mas em sua estreia no horário nobre, Andreia esteve ótima como sempre.

com Paulo Vilhena, em A Teia

com Alexandre Nero, em Império


Ao perder o papel de protagonista na novela das 9, A Regra do Jogo, em 2015, a oportunidade de brilhar como heroína veio no ano seguinte, com Liberdade Liberdade, novela das 11 de Mário Teixeira, onde deu vida a Joaquina da Silva Xavier / Rosa, filha do Tiradentes. Na trama de época, a destemida Rosa era exímia amazona, esgrimista, lutava contra a escravidão e pela liberdade do povo, um papel sob medida para uma atriz visceral.

com Natália Dill, em Liberdade Liberdade


Esse ano, Andreia Horta pôde ser vista recentemente na série exibida pelo Fantástico, Segredos de Justiça, protagonizada por Glória Pires, onde participou do episódio "Quem Cuida Dele?", vivendo a personagem Camila, uma mulher que na hora de assinar o divórcio, não aceita ter sido trocada por outro homem.




Ainda em 2017, Andreia estará de volta às novelas. Na trama de época Tempo de Amar, próxima das 18 horas, escrita por Alcides Nogueira e prevista para setembro, ela viverá Lucinda, sua primeira vilã. Nenhuma dúvida de que sua atuação será marcante, pois Andreia Horta é uma atriz que atua de forma tão leve e natural que nos hipnotiza. Sua interpretação é tão fácil como respirar. É isso, Andreia atua como respira, e está aí seu encantamento, na transparência com que vive cada personagem. É uma atriz como poucas, suave e intensa, como seu último papel no cinema, a soberba Elis Regina. Para viver uma grandiosa artista, só mesmo outra artista de mesma grandeza.



E isso é só o começo, Andreia Horta ainda dará muito o que falar!

Outro trabalhos da atriz:

No teatro, além de Crime e Castigo, atuou em outras duas peças, Sapato e Porta-Retrato e Breu.
No Cinema, além de Elis, fez as comédias Muita Calma Nessa Hora 1 e 2 e Albatroz, com estreia prevista para 2018.
Também participou do clipe da música Respeita, da cantora Ana Cañas.




FELIZ ANIVERSÁRIO, ANDREIA HORTA!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

25 Anos de Estreia da Melancólica DE CORPO E ALMA #08

Os 27 anos da minissérie O CANTO DAS SEREIAS #05

Estamos Apresentando... #00