25 Anos de Estreia da Melancólica DE CORPO E ALMA #08



Atualmente no ar em horário nobre, com o sucesso de A Força do Querer, há exatos 25 anos, Glória Perez estreava na mesma faixa, com a novela De Corpo e Alma. Uma história forte, emocionante e romântica, que prometia ser a volta triunfal da autora em horário nobre, após sua estreia ao lado de Aguinaldo Silva, com Partido Alto, em 1984, e seu grande sucesso anterior, no horário das seis, Barriga de Aluguel, em 1990. Mas De Corpo e Alma foi uma trama marcada pela tragédia e é lembrada como uma novela obscura e melancólica.

Glória Perez

De Corpo e Alma estreou no dia 3 de Agosto de 1992, às 20:30. Dirigida por Roberto Talma, Fábio Sabag e Ivan Zettel, com direção geral de Roberto Talma, a trama teve 185 capítulos, e abordava em seus temas principais: transplante de coração, o mundo dos strippers masculinos e a troca de bebês na maternidade.

Stella e Juca no Clube das Mulheres

O Juiz Diogo Varella (Tarcísio Meira) é casado com a submissa Antônia (Betty Faria), num casamento que nunca mais foi o mesmo desde que ele se apaixonou perdidamente por Betina (Bruna Lombardi), com quem teve um tórrido caso, mas que acabou, quando ele optou por manter seu casamento, e ela, desiludida, foi embora do Brasil. Alguns anos depois, Betina volta, e ao reencontrar Diogo, a paixão reacende mais forte do que nunca. O juiz fica muito mexido com o retorno da amada e ensaia uma separação de Antônia, mas novamente não consegue pôr um ponto final em seu matrimônio. Desnorteada e desesperada com uma segunda rejeição, Betina fica fora de si e acaba sofrendo um acidente de carro que a mata.




Em um mundo bem distante do de Diogo e seus dramas amorosos, está Paloma Bianchi (Cristiana Oliveira) e sua família. A moça, estudante de Desenho Industrial, está internada, com a vida por um fio, ela precisa de um transplante de coração e espera por um doador compatível. O tempo está passando e seus pais, Domingos (Stenio Garcia) e Laci (Marilu Bueno), a irmã Yasmin (Daniella Perez) e o namorado Juca (Victor Fasano), estão aflitos com a possibilidade de Paloma não resistir à espera.

Laci, Domingos e Yasmin

Mas a morte de Betina torna-se a salvação de Paloma. A família da amante de Diogo decide doar seus órgãos, e o coração de Betina sendo compatível com o de Paloma é imediatamente transplantado para ela.




Porém, antes de cair enferma, Paloma é deixada pelo namorado Juca, que resolve se mudar para o interior, deixando a namorada no Rio de Janeiro. Nesse meio tempo, ela se envolve com o apaixonado amigo de infância, Tavinho (Hugo Gross), e quase se casa com ele, mas Juca reaparece ao saber do casamento da amada, para impedir o enlace. Num ato alucinado de paixão, Paloma que nunca amou Tavinho, o abandona em pleno altar. O que o faz cair em depressão e tronar-se extremamente fragilizado, provocando o ódio e a revolta de Nágila Pastore (Nathalia Timberg), mãe super protetora do rapaz, que já era contra a união dos dois, devido a um ressentimento do passado por Domingos, pai de Paloma, por quem foi apaixonada, e preterida por Laci.

Tavinho e Nágila

Nágila acabou se casando com um homem rico, patrão de Domingos, na juventude, e seguiu a vida rancorosa, tentando de diversas formas vingar-se de seu amor do passado. Mas quis o destino que seus dois filhos se apaixonassem pelas filhas do homem que ela tanto deseja prejudicar. Além do problemático Tavinho, sofrer com o abandono de Paloma, Caio (Fábio Assunção), o caçula, ama Yasmin, que também o ama, mas não conseguem se entender devido a rixa entre as famílias. Fechando o clã Pastore, tem a doce tia Calu (Eva Todor), irmã de Nágila, que era apaixonada pelo cunhado, mas resignou-se ao ver o homem que amava casar com sua irmã. Calu faz um contraponto à personalidade dura e amarga de Nágila, é uma senhorinha meiga e encantadora, preocupada e amorosa com os sobrinhos, em especial Caio, que não tem tanta atenção da mãe, pois esta dispensa maiores cuidados ao filho mais velho.

Calu

Após o transplante, Paloma e Juca se casam em uma cerimônia simples, mas ao saber que o coração de Betina foi transplantado para Paloma, Diogo deseja conhecê-la. Da mesma forma que Paloma sente a necessidade de procurar a família de sua doadora para agradecer. Ela então procura Caíque (José Mayer), irmão de Betina, casado com Bia (Maria Zilda) e pai do pequeno Junior (Aaron Hassan).

Bia, Pinguim e Caíque

Caíque e Bia vivem um casamento feliz, morando sob o mesmo teto com as mães Bela (Ida Gomes) e Sálvia (Márcia Real), mas o fato do filho do casal ter a pele mais escura que a dos pais, faz com que uma dúvida paire sob a harmonia dos dois. Caíque não entende porque o filho não se parece com nenhum deles e desconfia de uma possível traição de Bia, o que acaba causando uma crise no casamento e levando Caíque a se envolver com a advogada Helena (Renné de Vielmond). O que ele não imagina é que Helena é amiga de sua mulher, que descobre o caso do marido e contrata Helena para tratar de sua separação, sem nem sonhar que a amante de Caíque é sua própria advogada.

Helena e Caíque

Mais tarde, Caíque e Bia descobrem que Junior foi trocado pelo filho verdadeiro deles na maternidade. Reconciliam-se na dor e unem-se novamente para lutar pelo filho trocado, Pinguim (Eduardo Caldas), que foi criado por Terê (Neuza Borges) e Vado (Tonico Pereira), pais biológicos de Junior.

Junior e Pinguim

Recém casados, Paloma recupera-se aos poucos e Juca está desempregado. Ele passa a apresentar-se no Clube das Mulheres fazendo striptease, sem que Paloma saiba, e enlouquece as mulheres. A principal delas é Stella (Beatriz Segall), professora universitária, independente e melhor amiga de Antônia, que ao ver o show de Juca, não hesita em bancá-lo como seu objeto sexual. Isso, depois que Paloma flagra o marido em plena ação no palco do Clube das Mulheres e põe um ponto final em seu casamento.




Logo após a separação, Paloma e Diogo se conhecem, ele fica mexido ao saber que a moça carrega no peito o coração de Betina, e ela sente-se atraída pelo Juiz, sem saber do envolvimento dele com sua doadora. Pouco tempo depois os dois engatam um romance cheio de idas e vindas.

Diogo com Paloma e Betina

Outros núcleos e personagens marcantes complementavam De Corpo e Alma, era o caso do gótico Reginaldo (Eri Johnson) que morava em São Paulo, e ao retornar à casa da mãe Guiomar (Maria Regina), no Rio de Janeiro, deixava ela, a irmã Sheila Maria (Carla Daniel) e toda a vizinhança apavorada com seu visual dark. Reginaldo só gostava de sair de casa à noite, detestava a luz do dia e adorava cemitérios. Era secretamente apaixonado por Yasmin. Glória Perez sempre antenada em trazer novidades e abordar temas inéditos nas novelas, apresentou o estilo gótico de ser ao público, mas com uma pitada de exagero e muito bom humor. O amigo Eri Johnson sempre contemplado com tipos hilários pela autora, roubou a cena e ganhou a capa da trilha internacional da novela.

Reginaldo

Simone (Vera Holtz) também deu o que falar com sua trama. No início ela era a esposa submissa, quase sem voz ativa, de Guedes (Ewerton de Castro), mãe zelosa de Paty (Lizandra Souto) e Beto (Marcelo Faria) e dona de casa dedicada. Pouco valorizada pelo marido, um dia, Simone é levada por Stella ao Clube das Mulheres, e ao ver Gino (Guilherme Leme) dançando, fica encantada. Não demora muito, Gino e Simone se envolvem num tórrido caso de amor. O casal, apesar da diferença de idade, exalava uma química poderosa e conquistou o público, que torceu para que ela deixasse o marido pamonha e vivesse livremente sua paixão pelo stripper.

Simone e Gino

Carlos Vereza vivia Vidal, um personagem misterioso, garçom do Clube das Mulheres, que manipula Juca durante toda a novela com o intuito de se vingar de Stella, um amor mal resolvido do passado, através dele. Vidal era tão inteligente, enigmático e assustador que parecia o próprio demo apenas com a interpretação sutil e poderosa de Vereza.

Vidal

Infelizmente, é quase impossível falar de De Corpo de Alma sem lembrar da fatídica tragédia pela qual a novela ficou marcada. O brutal assassinato da atriz Daniella Perez, que vivia a carismática Yasmin, irmã da protagonista, e após duas novelas anteriores, Barriga de Aluguel e O Dono do Mundo (1991), ganhava seu papel de maior destaque e repercussão. Todos amavam Yasmin, popular, meiga, despachada e esquentada, a garota tinha mais apelo diante do público que a própria protagonista, Paloma, que era uma mocinha melancólica e cheia de conflitos.



Yasmin era alvo da paixão de três homens: o gótico e esquisito Reginaldo, que jamais teve chance com ela; Caio, seu verdadeiro amor; e Bira (Guilherme de Pádua), vizinho apaixonado, de personalidade forte e um tanto agressiva, com quem Yasmin começa a namorar no intuito de esquecer Caio, pretendente que seus pais não aprovam. No entanto, Bira mostra-se rude, grosseiro e extremamente ciumento, o que faz com que ele e Yasmin vivam em constante atrito.

No dia 28 de Dezembro de 1992, com a novela há quase cinco meses no ar, Guilherme de Pádua assassinou à sangue frio sua colega de cena, Daniella Perez, com 18 tesouradas. O Brasil ficou estarrecido naquele final de ano com a aterradora notícia, e De Corpo e Alma morreu junto com a única filha de sua autora. Emocionalmente incapaz de continuar sua história, Glória Perez se afastou da novela, que continuou a ser escrita por Gilberto Braga e Leonor Basséres, mas à novela restava agora só o corpo, pois sua alma havia se perdido.

Caio e Yasmin

Se não fosse essa grande tragédia, que assolou a vida da autora Glória Perez e chocou o País, De Corpo e Alma estaria, sem dúvidas, no rol das grandes tramas do horário nobre, pois era uma bela história, dramática e lacrimosa, mas escrita com primor e paixão.

Em sua trilha sonora, temas inesquecíveis, como Contrato Assinado (Sandra de Sá), que embalava a personagem Simone; Alguém no Céu (Trem da Alegria), tema do pequeno Junior; Bate Coração (José Augusto), tema de Caíque; Romance Rosa (Juan Luis Guerra), tema de Yasmin; Fora da Ordem (Caetano Veloso), tema de Reginaldo; Atrás da Porta (Elis Regina), tema de Antônia; e Raio de Luz, tema de abertura entoado lindamente por Simone, foram alguns destaques da trilha nacional da tama.

trilha nacional

Na trilha internacional, Rhythm Is a Dancer (Snap), tema de Gino no Clube das Mulheres, invadiu as pistas de dança de todo o País; The One (Elton John) era o tema de Antônia; For Your Babies (Simply Red), tocava para Simone; Under The Bridge (Red Hot Chili Peppers), embalava Paloma; Caruso (Lucio Dalla) era o dramático tema de Diogo; Hazard (Richard Marx), tocava para a fogosa Stella; Crucify (Tori Amos) era o tema de Bia; e Wishing On Star (The Cover Girls), tema de Yasmin, que virou um hino e tocou à exaustão durante todo o ano de 1993.

trilha internacional


Curiosidades:

- O título provisório da novela era Clube das Mulheres

- Em 1992, Glória Perez escrevia a minissérie Hilda Furacão, que seria produzida e iria ao ar naquele ano. Ela já tinha a sinopse de De Corpo e Alma, que substituiria Renascer, de Benedito Ruy Barbosa, em 1993. Mas a Rede Globo achou melhor não exibir duas novelas rurais seguidas, como era o caso de Pedra Sobre Pedra, que estava no ar, e resolveu antecipar a trama urbana de Glória, que parou de escrever a minissérie e se debruçou sobre a nova novela das 8, Renascer substituiu De Corpo e Alma. Hilda Furacão foi ao ar somente seis anos depois, em 1998, como uma das mais belas obras da autora.

- Sônia Braga foi o primeiro nome desejado para viver Betina. Com sua recusa, chamaram a deslumbrante Bruna Lombardi.

- José Mayer foi disputado por Glória Perez e Sílvio de Abreu naquele ano de 1992. Sílvio queria Mayer no papel de Paco, em sua novela das 7, Deus Nos Acuda, na trama ele seria um homem rústico apaixonado por Maria Escandalosa (Claudia Raia). Mas Glória Perez levou a melhor. E curiosamente o papel de Paco ficou com Raul Gazolla, genro de Glória na época, a quem ela sempre reserva um papel em suas tramas, e atualmente faz o Mestre Alan, em A Força do Querer.

- Na vida real, Betty Faria e Maurício Branco, que interpretavam Antônia e Felipe, mãe e filho na novela, tiveram um caso.

- Vera Holtz e Guilherme Leme engataram um romance também fora de cena.

- Alexandre Frota foi convidado pelo amigo Roberto Talma para fazer De Corpo e Alma, mas ele precisava ser liberado da novela das 7, Perigosas Peruas, onde atuava. Carlos Lombardi, autor da atração das 7, liberou o ator, mas este, desaforado, mandou um fax mal-criado para Lombardi, dizendo que dava graças a Deus por estar saindo daquela novela de merda. Furioso e ofendido, Lombardi voltou atrás em sua liberação e não deixou que Frota saísse da novela. Apesar de Perigosas Peruas acabar algumas semanas depois da estreia da novela das 8, seria inviável esperar por Alexandre Frota para iniciar os trabalhos. O papel que Frota faria era Bira, que acabou nas mãos do assassino Guilherme de Pádua, uma grande lástima. Quem diria que Alexandre Frota poderia ter evitado essa tragédia?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os 27 anos da minissérie O CANTO DAS SEREIAS #05

Estamos Apresentando... #00